Sofrimento e vitória do Messias

18/02/2021

Os relatos do Salmo 22 (Salmo da Cruz) nos remetem ao que Davi descreve sobre primeiramente a súplica de Cristo na cruz naquele instante:
Salmo 22:1: "Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?"
Cristo chama e clama ao Criador sobre tamanho sofrimento que está passando, mas em nenhum momento diz que está errado todo esse processo.
A nossa natureza humana na grande maioria das vezes, clama pelo nome dAquele que é Soberano no momento de maior angústia vivida ao chegar no limite do sofrimento.
Salmo 22:18: "Repartem entre si as minhas vestes e sobre a minha túnica deitam sortes."
Cristo relata sobre aqueles que não o reconhecem tampouco Sua soberania divina na terra.
Igualmente na nossa vida estamos seguidamente à mercê de malfeitores que não vão hesitar em nos fazer o mal.

Salmo 23 (Salmo da sepultura)
Este salmo menciona que o nosso Pastor sempre estará conosco e não passaremos necessidade. Mesmo sendo escassas as provisões, nós ovelhas, não seremos privadas de bom pasto e águas de descanso. Ainda que andemos por vales sombrios, chegará o momento de sermos ungidos na cabeça pelo óleo misericordioso.

Salmo 24 (Salmo da Coroa)
Salmo 24:08: "Quem é o Rei da Glória? O Senhor, forte e poderoso, o Senhor, poderoso nas batalhas." Salmo 24:10 "Quem é esse Rei da Glória? O Senhor dos Exércitos, ele é o Rei da Glória."
Ele é reconhecido por ser Aquele que subiu aos céus, que está assentado no trono, ao lado Pai Eterno.

A natureza messiânica destes três salmos é reconhecida por conter a paixão, o louvor e a posteridade do Messias. Ele morreu como Salvador na cruz, vive como nosso Pastor zeloso nos nossos dias e virá como nosso Rei Soberano de Glória. Amém.

Autor Parceiro: Sander Muletaler

Esta mensagem abençoou o seu dia? Você sentiu Deus falar ao seu coração? Certamente, muitas outras revelações a Bíblia lhe dará! Você aceita esse presente? Então, clique agora no botão abaixo: