O sábado era só para o Antigo Testamento?

19/03/2021

Tenho a impressão que ultimamente temos ouvido sobre o assunto do dia de repouso como nunca antes. A discussão sobre sábado ou domingo como dia sagrado para os cristãos está aberta. Usa-se a literatura e especialmente o rádio, a internet e a televisão de forma aberta e abundante. O sábado, o sétimo dia tem sido apresentado como o dia colocado por Deus como tempo de adoração e descanso. Em contrapartida isto tem gerado uma reação daqueles que discordam desta ideia e defendem que o domingo substituiu o sábado nesta questão. Uma breve olhada em um site de pesquisas sobre o assunto nos remeterá a um grande número de artigos e vídeos produzidos por clérigos e leigos. Tais conteúdos tornaram populares alguns argumentos contra a observância do sábado. Um destes argumentos é justamente o que diz que o sábado era válido apenas para o Antigo Testamento. Será que isto corresponde à verdade do ponto de vista bíblico?

Para começo de conversa temos que definir as coisas. Será que o Velho Testamento não é normativo para os cristãos? O assunto rende muito, mas, é difícil ignorar tudo o que foi escrito antes de Cristo em matéria religiosa. A verdade é que o Novo Testamento não invalida o Velho Testamento. Algumas razões nos conduzem a esta conclusão:

1) Os escritores do Novo Testamento viam o Velho Testamento como autoritativo em matéria de fé e prática. Para eles as Escrituras do Velho Testamento eram "os oráculos de Deus" e a "viva e eficaz" palavra de Deus (Romanos 3:2 e Hebreus 4:12). De acordo com o apóstolo Pedro ela é a semente que caindo no coração humano gera uma nova vida. Ele também diz que a palavra de Deus permanece eternamente (I Pedro 1:23 a 25). Em nenhum momento os escritores afirmam que o que antes de Cristo foi escrito perdeu o valor para os cristãos. Paulo referindo-se ao Velho Testamento disse: "Pois tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança". Romanos 15:4. 

2) Para o escritores do Novo Testamento (NT) o mesmo Espirito Santo inspirou toda a Bíblia (Velho e Novo). "Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo". II Pedro 1:21.

3) Existe uma unidade entre o Velho Testamento (VT) e a palavra dos apóstolos. Os apóstolos não viam o testemunho deles como um novo evangelho ou uma nova religião diferente daquela pregada pelo Velho Testamento. Eles uniam seus ensinos com os dos profetas. Os cristãos foram admoestados para que se recordassem "das palavras que, anteriormente, foram ditas pelos santos profetas, bem como do mandamento do Senhor e Salvador, ensinado pelos vossos apóstolos." II Pedro 3:2. Os dois testamentos são como uma mesma peça, só que em dois atos. 

4) Os escritores do Novo Testamento (NT) reconheceram a validade histórica dos fatos do Velho Testamento. Adão e Eva, Criação, Pecado, Dilúvio, Milagres do Velho Testamento nunca foram questionados nem por Cristo e nem pelos seus seguidores.

5) As verdades morais e espirituais do Velho Testamento tem valor permanente para os escritores do Novo Testamento. Basta ler o que escreveu Paulo para compreender isto: "Pois tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito..." Romanos 15:4.

Em resumo as Escrituras Sagradas são constituídas em uma unidade indivisível. Negar o Velho Testamento é invalidar a própria historicidade de Jesus Cristo cuja vinda a este mundo foi largamente profetizada pelos escritores do Antigo Testamento. Ninguém pode rejeitar que "toda a Escritura é inspirada por Deus..." II Timóteo 3:16. Toda a Escritura- não apenas uma parte dela- é inspirada por Deus. Isso certamente inclui todo o Antigo Testamento.

Conclusão: Voltando ao assunto do sábado, o que se pode dizer é que, este dia foi observado por Jesus e pelos apóstolos.

A evidência do NT revela que Cristo e seus apóstolos honraram o sábado com regularidade, frequentando "santas convocações". Além disto, não há no Novo Testamento nenhuma evidencia de qualquer outro dia de adoração sendo honrado a não ser o sábado. Também não houve a tal controvérsia sábado-domingo. Sempre que ocorria uma mudança de prática religiosa havia uma extensiva controvérsia sobre ela. Um exemplo disto é a circuncisão que deixou de ser obrigatória e gerou uma longa discussão em mais de um livro do Novo Testamento. Isto não ocorreu na questão do dia de repouso. Este fato é uma forte evidência da continuidade da guarda do sábado entre os primeiros cristãos. Não há mandamento explícito para guardar, mas não há mandamento para não guardar o sábado. Aliás, há um grande número de textos e fatos apontando para a prática sabática de Jesus e dos apóstolos (Ver Lucas 4:16; Lucas 23:54 a 56, Mateus 24:20; Atos 13:14,42-44;Atos 16:12 e 13; Atos 18: 4 a 11).

Ainda mais: Uma boa pergunta para fazer àqueles que teimam em dizer que o Velho Testamento foi abolido e com ele a validade do sábado: "Se o VT foi abolido porque ainda se devolve o dizimo? A doutrina do dizimo está no VT. O NT apenas menciona o dizimo sem fazer disto uma imposição. Será que o fato de não haver um mandamento obrigando a devolução do dizimo em o NT significa que ele não tem mais valor?

A situação é outra: Para os escritores do Novo Testamento não havia a necessidade de tratar destes assuntos, pois para seu público estas eram questões resolvidas. O problema deles não era se o sábado seria ou não, o dia de guarda. Toda a discussão prendia-se em que tipo de sábado se deveria guardar: O dos judeus que impunham preceitos não escriturísticos em cima do mandamento claro e o tornaram um peso para as pessoas? Ou o sábado de Jesus onde era permitido fazer o bem e adorar a Deus na beleza de sua santidade?

Provavelmente você já deve ter lido ou ouvido sobre as mais de 600 regrinhas que os judeus impuseram sobre o que não fazer no sábado. Tudo isto tornava o sábado um fardo. E não foi isto que Deus pediu. 

Há um conselho de Cristo em Mateus 24:20 prevendo a destruição de Jerusalém anos mais tarde, depois de sua ressurreição. Nele, Jesus instruiu para que cristãos orassem pedindo para que a fuga da cidade não ocorresse nem no inverno nem no sábado. Nestas palavras Jesus preserva o sábado como uma dia de alegria e deleite fisico e espiritual. 

Tentando distorcer o texto alguns alegam que a preocupação de Jesus era com a famosa "jornada de um sábado" dos judeus. Ela determinava que só se podia andar certo número de metros durante as horas sabáticas. Porém, isto é eliminado, quando descobrimos que a própria tradição rabínica liberava uma caminhada maior no caso de uma fuga no sábado. A verdade é que Cristo revela preocupar-se com a santidade do sábado bíblico (não judaico do seu tempo) e a necessidade de descanso neste dia.

Resumo: Jesus guardou o sábado da forma correta e nunca questionou o mandamento do sábado. A controversia é sobre que tipo de sábado se deveria guardar e não sobre o claro mandamento que ordena o repouso no sétimo dia ( Êxodo 20:8 a 11 e Gênesis 2:1 a 3). 

Autor Parceiro: Pr. Moisés Mattos

Esta mensagem esclareceu suas dúvidas? Você sentiu Deus falar ao seu coração? Certamente, muitas outras revelações a Bíblia lhe dará! Você aceita esse presente? Então, clique agora no botão abaixo: